ADESTRAMENTO

 
COLEIRA
Habitue seu cão a coleira.  Comece, utilizando uma coleira macia. Faça-o utilizar a coleira constantemente para se habituar.
NOME
A melhor maneira de ensinar o nome ao cão é repeti-lo freqüentes e constantes vezes. Diga o nome de um modo claro e alegre para lhe chamar a atenção. Faça isto enquanto brinca com ele, quando se curva para acariciá-lo ou quando se abaixa para lhe dar a tigela com a sua refeição.
HORÁRIOS
O cão na verdade é muito conservador.  Ele gosta que você lhe atribua um horário regular, tanto para a alimentação como para o treino. Comece por curtas sessões de treino, com uma duração de 5 a 10 minutos, aumentando gradualmente. A melhor hora para as sessões de treino é antes das refeições - um cachorro que esteja ligeiramente com fome torna-se mais alerta e com mais vivacidade do que um cachorro que acabou de comer e que só quer uma soneca.
 

VOZ

Utilize o mesmo tom de voz e a mesma palavra sempre que ordenar uma instrução ou comando. Se disser "Vem, Argos!" num tom de voz clara e encorajadora numa sessão de treino, não deve mudar para "Anda cá Argos", num tom de voz autoritário durante a sessão seguinte.

Um cão bem treinado responde às ordens porque gosta de agradar ao seu dono - não porque tem medo dele.

Seja firme.  Deixe o seu cachorro notar que você não está brincando.

Seja paciente. Pare quando se sentir irritável.

Reaja de imediato.  Felicite-o ou corrija-o no seguimento da reação do seu cachorro a uma ordem.

 

As recompensas podem ajudar muito no treino. Mas escolha as que são saudáveis e não interferem no regime alimentar de seu cão.
Leve em consideração as capacidades e limitações naturais do seu cão quando o iniciar num programa de treino.
Não castigue o seu cão com a mão, utilize um jornal enrolado. As suas mãos deverão ser sempre associadas a carinhos e louvores.
Aos 5 ou 6 meses de idade, poderá inscrever o seu cachorro numa escola de adestramento. Será útil, e também divertido. Caso esteja interessado em participar de concursos com o seu cão, faça contato com o seu clube de cinofilia local.

INTRODUÇÃO

   Para que o cão se adapte com maior eficiência e facilidade à vida doméstica, muitas vezes é necessária uma educação deste cão.
         Esta educação é possível, através de um adestramento racional e eficiente.Muitas técnicas podem ser utilizadas para o ensino, tanto de obediência quanto de ataque e ambas visam um melhor aproveitamento das qualidades do animal.
            Este trabalho visa demonstrar técnicas fáceis e corretas de adestramento, tornando possível o ensino de qualquer cão, ressaltando a importância do carinho e empenho em todas elas.
 
A PSICOLOGIA DO CÃO

   A base para o adestramento de cães está nos reflexos condicionados e em seu instinto (Cosse, 1993).Deve-se penetrar no "pensamento" do cão e utiliza- lo para que o animal dê o máximo de si no aprendizado, quanto mais intima for a relação do  adestrador com o adestrando melhores serão os resultados.
         O dono deve amar para ser amado, pancadas devem ser substituidas por repreensão severa (apenas um enérgico não, basta) e gulodices devem ser trocadas por afagos e palavras de carinho.
         A idade ideal para o inicio do adestramento pode ser de oito a nove meses (Gygas, 1985) ou de sete a oito meses (Cosse, 1993).Cães jovens e que vivem soltos aprendem mais rápido e cães  velhos e que vivem presos aprendem mais devagar.
         Uma boa educação do cão antes do inicio do treinamento é essencial para o seu sucesso.

TIPOS DE ADESTRAMENTO

   Existem dois tipos básicos de adestramento : o ensino de obediência e o ensino de ataque.A obediência visa o ensino de técnicas que permitam uma melhor integração do cão com o dono (Gygas, 1985) e o ataque visa o aumento da agressividade do cão, para que este possa ser utilizado na defesa do dono e na guarda de seus patrimônios.
             Todos os cães podem aprender ambas as técnicas, porém em intensidades que variam com a inteligência e a agressividade de cada animal.

PRELIMINARES
 

   Antes de iniciar o treinamento verifique se o cão goza de perfeita saúde, e verifique também o seu próprio estado de espírito, pois como dissemos é necessário um equilibrio entre adestrador e adestrando.Adestradores irritados, nervosos e aborrecidos põem tudo a perder.Evite também a presença de outras pessoas, elas desviam a atenção do aprendiz.

ENSINO BÁSICO
 

   Duas coisas são de fundamental importância para o ensino do cão, a primeira é ensinar o significado do não.Toda vez que ele fizer algo errado, repreenda-o com um severo não, assim o som desta palavra ficará associado com reprovação, todas as atitudes indesejáveis do dia-a-dia, como roer objetos, subir em sófas e camas e arranhar portas podem ser inibidas com este condicionamento.A segunda é permitir que o cão coma somente quando lhe for ordenado, nas horas de refeição não permita que o animal se aproxime da comida sem a sua aprovação, isto mostrará que é você quem manda.
          Após esta fase, que deve ser executada logo nos primeiros meses de vida, passe a passear com seu cão e o acostume com a guia.Antes de coloca-la, brinque algumas vezes com a guia e o cão para que o animal associe a guia com algo bom.O cão deve ficar sempre à esquerda e a guia deve ser segurada com a mão direita e correr pela mão esquerda.
          A partir deste ponto a guia passa a ser um instrumento de repreenção durante o passeio, use-a sempre que necessário, mas sem excesso.Puxe a guia em direção a sua coxa durante o passeio, assim ele aprenderá a caminhar próximo a você e no passo correto.Prefira guias com argolas largas, elas não estragam o pêlo (Gygas, 1985)

RECUSANDO COMIDA
 

   Jogue um pedaço de carne ao cão, mas não permita que ele pegue, se necessário bata com um jornal enrolado (faz barulho mas não dói).Repita este procedimento sempre que possível e só permita que o cão pegue a gulodice após alguns minutos de exercicio.

FAZENDO NECESSIDADES NO LOCAL CORRETO

 
   Escolha um local para servir de banheiro e forre com jornal, de preferência molhe um deles com a urina do cão para estimula-lo.Fique atento e na hora que ele for fazer necessidade, leve-o até o local escolhido, repita algumas vezes este procedimento e passe a agrada-lo toda vez que agir corretamente e repreender quando não.Aos poucos retire o forro de jornais.
 

OBEDIÊNCIA

   O programa apresentado neste trabalho é composto por sete comandos : junto, senta, fica, deita, aqui, late e quieto.Estes comandos são o minimo necessário para um bom desempenho do cão e a partir deles, outros comandos podem ser elaborados.Esta fase deve ser realizada somente após a aprendizagem básica.Não repita os comandos sempre na mesma ordem, isto tornará os movimentos mecânicos.
 

JUNTO

   Durante a caminhada, aproxime a guia em direção a sua perna e batendo na coxa, diga várias vezes o comando junto.Após algum tempo o cão aprenderá que o som desta palavra, significa que ele deve se aproximar do lado esquerdo do seu dono.
 
 

SENTA

   Durante a caminhada faça uma pausa, puxe a guia para cima e para frente, dizendo o comando senta e empurrando a região traseira do animal para trás, até que ele sente. Não pressione com muita força para não machuca-lo.
 
 

FICA

   Este é o comando que exige mais paciência.
         Mande que o cão se sente e repetindo o comando fica, de forma mais enérgica que o habitual, vá se afastando do cão e se ele vier atrás,
leve-o de volta e repreenda-o com um não.Tente várias vezes até que ele
aprenda.
 
 

DEITA

   Mande o cão sentar, ajoelhe-se na sua frente e faça com que o cão deite, colocando-o na posição correta e repetindo o comando deita.Ao fazer o cão deitar puxe a guia para baixo e para frente.
 
 

AQUI 

   Amarre uma corda de cinco à dez metros a guia, dê o comando fica e afaste-se do cão, dizendo o comando aqui, dê um leve puxão na corda e faça com que ele venha até você.Repita até que o cão se aproxime apenas com o comando.
 

LATE

   Utilize um figurante para a execução deste comando.
         Faça com que a pessoa escolhida irrite o animal e enquanto ele late repita o comando late, para que ele associe.
 

QUIETO

  Repreenda o cão com um não toda vez que ele latir sem necessidade ou durante o comando late, caso o cão não obedeça, prenda o seu focinho com a mão.

ATAQUE

   Aconselha-se o treino para ataque, apenas para cães "profissionais", ou seja, cães da polícia e do exército.Um cão bem treinado pode ser uma arma eficiente, mas cães mal treinados tornan-se feras, na maioria dos casos sem controle.(Cosse, 1993).
         O instinto do cão determinará o seu desempenho durante as aulas.
 

1- Utilize uma manga especial de couro, presa a um bambu, para atiçar o cão.Quando o cão investir contra a manga, repita várias vezes o comando pega ou ladrão.
2- Durante a execução do exercicio anterior, obrigue a cão a largar a luva, ao mesmo tempo que o comando larga é dito.Assim o cão aprenderá a encerrar o ataque quando ordenado.Associe a comando com a luva levantada.
3- Quando estes comandos estiverem assimilados, passe a proceder da mesma maneira, só que agora utilizando um figurante vestindo a luva.Faça com que o cão aprenda que as mãos levantadas querem dizer rendição.
Obs. : algumas vezes o figurante larga a luva e o cão continua mordendo-a, quando isto acontecer, faça com que o figurante volte e atice o cão com uma vara.
4- Treine o cão para que ele adquira maior atenção.Durante pausas no treino, faça com que o figurante se aproxime por trás do cão e o assuste com a vara e com gritos.
5- Peça que alguem solte bombas ou rojões perto do cão, se ele se assustar, acalme-o com afagos e brincadeiras.Isto condiciona o cão a enfrentar disparos de armas.
6- Quando estes comandos estiverem bem firmados, comece a permitir o ataque a distância.O figurante deve utilizar um macacão de couro, além da luva.
 

   Para tornar o cão mais apto à situações reais, simule uma discussão para que ele aprenda a defender o dono prontamente.
         Durante o ataque não puxe a guia em sua direção, o cão poderá ataca-lo.
         Não corra em direção ao figurante no momento da rendição, a proximidade com o agressor aumentará a necessidade do cão em defender o dono, fazendo com que ele retome o ataque.Aproxime-se calmamente e ordene que o cão deite.